Escolha uma Página

As pessoas que sofrem com esse mal, podem chegar a ficar dias e até mesmo semanas sem ir ao banheiro. Além das dores e desconfortos no abdômen, a constipação intestinal, também recebe outras denominações: prisão de ventre, intestino preso, intestino preguiçoso. Essa afecção pode causar vários outros danos ao organismo.

Quando nos alimentamos, o alimento consumido passa pelo intestino delgado, onde os nutrientes e água presentes nele são absorvidos pelo organismo e o resto vai para o intestino grosso para formação do bolo fecal.

Quando consumimos fibras e água em boa quantidade o organismo elimina as fezes de forma natural, por meio das contrações musculares na parede intestinal.

Quando ocorre algum problema com esses movimentos, fica o acúmulo desses resíduos fecais no intestino, o organismo reabsorve o resto da água e acontece o endurecimento dos resíduos.

Segundo a Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBCP), considera-se uma pessoa constipada quando:

  • Há queixas de eliminação de fezes endurecidas;
  • A regularidade de defecação é menor do que três vezes por semana;
  • O paciente tem a impressão de esvaziamento incompleto do reto.

Ainda conforme a Sociedade Brasileira de Coloproctologia, a constipação é um sintoma e não uma doença.

Por isso, pode ser necessário uma investigação médica para descobrir se o sintoma não está relacionado com alguma outra manifestação clínica.

Contudo, na maior parte dos casos, a constipação intestinal não ocorre por um distúrbio de ordem física ou anatômica do trato intestinal.

Sintomas

O sintoma mais importante é a falta regular de evacuação. O ser humano saudável evacua pelo menos uma vez por dia, podendo ficar até um dia ou outro sem, passando disso, já é um sinal de constipação intestinal.

É possível que a pessoa evacue todos os dias e ainda assim tenha o transtorno, porém, é considerado constipação intestinal, se a pessoa evacua menos de 3 vezes por semana.

Os principais sintomas de quem sofre com a prisão de ventre são fezes ressecadas e endurecidas, muito esforço para evacuar, sensação de inchaço e dor no abdome, evacuação incompleta, gases, irritabilidade e distúrbios digestivos.

Além da frequência da evacuação é importante observar o aspecto das fezes

Você sabia que existem 3 subtipos de constipação intestinal?

A constipação de trânsito lento: nesses casos os movimentos intestinais podem não ocorrer por dias ou semanas apesar de usos de laxantes.

A constipação de trânsito normal: nesses casos o intestino funciona normal, mas fatores psicólogicos e alimentares afetam a formação das fezes. Esses casos respondem melhor ao tratamento clínico

Existe ainda a constipação pélvica ou ainda defecação obstruída: nesse tipo de constipação o defeito está na eliminação das fezes, ocorre falta de coordenação do assoalho pélvico durante a defecação, alteração de sensibilidade retal ou alterações anatômicas que dificultam a eliminação das fezes.

Em alguns casos pode haver em um mesmo paciente associação de fatores com mais de um tipo de constipação.

Doenças sistêmicas como diabetes e hipotireoidismo, o uso de medicações , alterações nos eletrólitos no sangue, ansiedade, sedentarismo, sídrome do intestino irritável, uso crônico de laxantes irritativos, entre outros, podem contribuir para constipação. Além de doenças tumorais!

Por isso é muito importante passar em consulta com médico especialista para uma correta investigação da constipação.

O que fazer para evitar?

Existem diversos exames que podem ser solicitados pra identificar a causa e tipo de constipação. Mas as primeiras medidas a serem tomadas são as mudanças de hábitos de vida.

As pessoas têm prisão de ventre por diversas razões, como exemplo, o estado emocional. Durante anos, foi demonstrado o efeito do nosso estado emocional no organismo e sistema digestivo especificamente, e como ele pode gerar problemas.

Portanto, a dificuldade para evacuar está relacionada com o stress ou em certo grau a ansiedade. Quando a questão é puramente emocional, em geral são as mulheres que mais são afetadas, especialmente na meia idade. Praticar atividade física é outra medida essencial para o bom funcionamento dos intestinos.

Outra causa da constipação pode ser uma dieta pobre ou ingestão insuficiente de líquidos. Não beber líquido o suficiente é tão negativo como ter uma dieta pobre em fibras (verduras, legumes, frutas frescas e secas, pão de trigo, cereais, farinha de centeio, etc.)