Escolha uma Página

O objetivo dessa campanha é conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce das doenças inflamatórias intestinais, como:

  • Retocolite
  • Doença de Crohn.

As Doenças Inflamatórias Intestinais atingem mais de 5 milhões de pessoas em todo o mundo, e segundo estudos, no Brasil, as DII aumentaram 14,8% nos últimos 9 anos.

Só no Brasil são afetados mais de 1,6 milhão de brasileiros e derrubam a qualidade de vida ao gerar dor abdominal, crises de diarreia e perda de peso.

O que são as Doenças Inflamatórias Intestinais?

As DIIs são um conjunto de enfermidades crônicas que afetam o trato gastrointestinal e causam inflamação e sintomas persistentes.

Para pessoas com DII, a vida pode ser desafiadora. As crises às vezes são imprevisíveis e levam a hospitalizações frequentes, mudanças na dieta e estilo de vida.

Quais são as causas das patologias?

  • Fatores genéticos,
  • Físicos e até
  • Sentimentais.

Além disso, acreditasse que fatores ambientais e dietéticos e flora intestinal, podem estimular a desencadear as alterações.

Dor abdominal, alteração da frequência e consistência das evacuações, sangramento, presença de muco nas fezes, entre outros.

Quais são os exames que podem identificar essas doenças?

Colonoscopia: quem possui Doenças Inflamatórias intestinais corre maior risco de desenvolver o câncer colorretal e a colonoscopia é o meio mais indicado para um diagnóstico assertivo. Recomenda-se a realização periódica do exame.

Tomografia: é um exame utilizado para captar imagens que exibem tridimensionalmente partes do corpo e, com isso, inúmeros diagnósticos podem ser realizados.

Ressonância Magnética: produz imagens de alta resolução do interior do corpo que ajudam a diagnosticar uma variedade de alterações e patologias.

Quais são as medicações disponíveis para tratamento?

Corticoides: medicações usadas por via oral (prednisona, prednisolona, budesonida) ou endovenosa (hidrocortisona) para tirarmos o paciente da crise. São usadas por tempo curto (lembre-se que estamos falando de uma doença crônica), não mais que 2-3 meses devido a efeitos colaterais quando do uso prolongado.

Antibióticos: o metronidazol e a ciprofloxacina são muito úteis para o tratamento de infecções associadas, especialmente fistulas perineais.

Derivados 5 ASA (salicílicos): a mesalazina é usada quando a doença é localizada no intestino grosso, principalmente quando é leve a moderada.

Imunossupressores: a azatioprina é indicada para pacientes que são dependentes do uso de corticoide ou pode ser utilizada em conjunto com a terapia biológica. Podem demorar 2 a 3 meses para ter efeito de controle da inflamação. Como pode baixar a imunidade, devemos fazer uma monitorização rigorosa com exames laboratoriais e controle de infecções. Também temos o metotrexato, medicação muito utilizada em conjunto com a terapia biológica.

Doenças Inflamatórias Intestinais tem cura?

Estamos falando sobre doenças crônicas, que infelizmente não tem cura, mas há inúmeras formas de tratamento e medicações ja citadas para controlar e manter sem sintomas e para conseguir a cicatrização das lesões inflamatórias (cicatrização da mucosa).

Sendo assim, a DIIs têm tratamento e, quanto antes ele for iniciado, menores são os riscos de complicações.

É importante estar atento(a) aos sintomas para procurar um especialista e garantir o diagnóstico precoce.

Quem tem as inflamações, possui a sua qualidade de vida afetada e risco aumentado de câncer, por isso, é importantíssimo o diagnóstico precoce.