Escolha uma Página

Pacientes que não melhoraram com o tratamento conservador podem necessitar de cirurgia. Além disso, o tratamento cirúrgico pode ser o mais eficaz para: hemorróidas externas extensas, hemorróidas classificadas como grau III ou IV, ou em casos de crise hemorroidária aguda.

Em geral, apenas 5% a 10% dos pacientes com doença hemorroidária necessitam de cirurgia.

A cirurgia de hemorroidectomia excisional convencional, é considerada padrão-ouro no tratamento cirúrgico, serve tanto para hemorróidas internas quanto para externas, apresenta excelentes resultados, com taxas pequenas de recorrência e poucas complicações.

Porém, apesar dos ótimos resultados, está associada a dor pós-operatória significativa. Foi então que foram surgindo outras técnicas cirúrgicas com objetivo de obterem tão bons resultados com menor desconforto doloroso pós operatório.

PREPARO PARA A CIRURGIA

Normalmente não é necessário preparo intestinal para a cirurgia, nem preparo local como depilação. Porém essa orientação pode variar, dependendo de cada cirurgião, ou da técnica cirúrgica escolhida.

TIPO DE ANESTESIA

A anestesia pode ser adaptada ao paciente e à técnica cirúrgica escolhida. Pode variar de um procedimento simples como anestesia local e sedação, raquianestesia, até uma anestesia geral completa com intubação.

OPÇÕES DE TÉNICAS CIRÚRGICAS

  • Hemorroidectomia excisional fechada: após a retirada do tecido hemorroidário o local é fechado com pontos
  • Hemorroidectomia excisional aberta: não são dados pontos
  • Cirurgia com uso de grampeador: PPH, chamada também de cirurgia de hemorróidas sem corte ou sem dor. Isso não é totalmente verdadeiro, mas é sim uma técnica em geral menos dolorosa.
Hemorroidectomia fechada
Hemorroidectomia com grampeador / PPH